Juliani e Jian

Na hora da valsa eu senti uma vibração, uma energia, uma coisa muito boa. Parece que tudo foi me levando, me conduzindo.
— Juliani

Morar em Foz do Iguaçu nos permite muita convivência internacional: há tantos que transitam diariamente entre os três países vizinhos que chega a soar estranho para residentes de outras cidades. Mas, mais até do que resumir nossa convivência à paraguaios e argentinos, também temos a oportunidade de conhecer tantas outras culturas que, que sorte a da Juliani, Jian e de muitos outros casais apaixonados, resolveram se instalar por aqui.

Juliani é brasileira, Jian é Chinês. Onde se conheceram? Em nossa querida Ciudad del Este, cidade onde ambos trabalham e para eles, a fronteira mais linda do mundo.

Depois de alguns anos de relacionamento, de muito planejar a vida a dois, Juliani diz que no dia do casamento estavam vivendo um momento muito feliz e sólido em suas vidas, pois a construção do castelo que se erguia estava sendo feita com uma pedra de cada vez. E todo casal sabe que apenas a convivência íntima pode revelar todos os percalços até chegarem longe. E longe pode ser longe mesmo, no caso deste casal, é a China.

Por ser chinês, Juliani teve a oportunidade de conhecer muito sobre a cultura do país de origem de seu marido. Encantada pela China, Juliani, assim como os chineses, é fascinada por um detalhe muito especial: árvores de cerejeira. Sim, árvores de cerejeira!

Juliani sonhou  seu casamento em um espaço decorado como um jardim oriental, enfeitado por lindas cerejeiras. E bom, aqui não seria possível plantá-las, então... Juliani pediu que fossem confeccionadas. Já imaginou entrar em um salão que mais parecia um jardim? Ou melhor, um conto de fadas?

Juliani foi uma noivinha muito detalhista. Antes mesmo de casar já sabia como queria a decoração de sua festa: “fiz um trabalho muito minucioso. Mais de anos de pesquisas, ideias. Então a partir do momento que decidimos a data eu já tinha tudo, cada detalhe arquitetado na minha cabeça.” E Jian, sabendo do sonho de Juliani, deu carta branca para que ela o conduzisse como quisesse. Até mesmo o decorador do casamento ficou surpreso: “eu tinha referência de tudo, de cada detalhe. Desde tecido que eu queria, da cor das flores. Tudo, tudo tudo”. Segundo Juliani, ele a considerou a noiva mais fácil de todos os tempos, pois ela já estava super decidida e em momento algum mudou de opinião.

Como queria muito a temática de jardim oriental e preocupada com opiniões que pudessem lhe deixar triste ou preocupada com suas escolhas, Juliani manteve tudo em segredo. Foi surpresa para os pais, a melhor amiga...: “eu não queria que ninguém me falasse: mas será que vai ficar bom? Eu não queria dar chance que alguém fizesse algum comentário que eu não fosse gostar e me colocasse na dúvida. Então eu fiz uma coisa bem sigilosa”. Juliani é decidida sim ou sim? E explica o motivo maior de sua escolha temática: “eu queria trazer um pouquinho das origens, das tradições orientais. Como meu marido é chinês e família toda estaria na festa, eu queria que eles se sentissem em casa, envolvidos, que remetesse à cultura deles. E a cerejeira era a peça fundamental que eu não poderia deixar de lado, para poder fazer com que eles se sentissem privilegiados. Além de eu ser apaixonada por elas.”

“Eu fiz de tudo pra conseguir fazer meu pré-wedding na China, em um jardim oriental. Porém, como as cerejeiras florescem só uma vez por ano e as flores duram pouco – 3 semanas – nesse período eu não consegui fotógrafos disponíveis e quando consegui, já não havia mais flores. Eu fiquei muito triste porque não consegui fazer o pré-wedding como eu queria. Então eu resolvi recriar um jardim oriental onde eu pudesse fazer algumas fotos. Contei a minha ideia para o nosso fotografo, Andress, e ele ficou super animado, o que me incentivou ainda mais. E foi isso que fizemos: Com muito trabalho e a ajuda especial de toda a equipe de fotografia e filmagem conseguimos montar as árvores em uma chácara, num espaço verde. O resultado ficou muito natural, bem parecido com o que eu queria, fiquei muito feliz.”

A Cerimônia Católica:
Para Juliani a cerimônia, realizada na Bom Jesus do Migrante e celebrada pelo Padre Paulus, amigo da família, foi um dos momentos mais marcantes: “uma das coisas mais especiais foi o casamento religioso. Na verdade, foi a forma que aconteceu. Eu sou de uma família bem católica, bem tradicional. O sonho do meu pai era me levar no altar e meu noivo não era católico, na verdade, não seguia nenhuma religião. E ele tomou como decisão dele, eu não incentivei, nem nada. Não houve pressão do meu pai ou minha. Mas ele decidiu se tornar católico para construirmos nossa família seguindo os ensinamentos de Deus. Então isso foi muito marcante pra mim, muito especial. Foi um gesto muito bonito da parte dele, uma prova de amor. E no dia do casamento ele tomou a hóstia pela primeira vez. Ele também estava muito emocionado”.

Juliani disse ter sido uma celebração muito leve, o que agradou a ela e aos convidados. Como muitos deles não são da religião católica, o receio dela era de ter sido uma celebração muito melancólica ou mesmo de difícil compreensão e passou bem longe disso: foi leve, como ela esperava.

O momento da dança da valsa.
“Nossa valsa foi pra mim o momento de mais êxtase, sabe? Porque nos dedicamos muito, queríamos fazer uma surpresa a todos, pois meu noivo nunca havia dançado antes, então ninguém imaginava o ele dançando rs, Mas com muitas aulas da Prof. Sirley e muito esforço, conseguimos entrar em sintonia, e que sintonia! Acabamos pegando gosto pela dança...E no dia ficamos bem apreensivos, com medo de errar ou esquecer a coreografia. Mas quando começou a música foi como mágica, a única pessoa que existia naquele momento era ele, meu marido, parecia que éramos só nos dois no salão, estávamos muito envolvidos e encantados. Foi um momento nosso e nós acabamos dançando melhor que nos ensaios”.
 

As expectativas e o.. BOLO!
Um pouco diferente do que estamos acostumados a ouvir, Juliani tinha uma expectativa muito grande: o bolo! Pois é. Apaixonada por bolos, ela queria um tão lindo e único.

“Eu sou muito apaixonada por bolos. E aqui em Foz não tinha muitas opções e nunca ninguém tinha feito um bolo como eu queria, então eu estava muito preocupada . Mas graças a Deus apareceu uma pessoa fantástica, a Marcela Rajah, e eu me encantei com o trabalho dela. Ela topou o desafio, era uma coisa nova, ela nunca tinha feito um bolo dessa proporção. Nós duas juntas fomos arquitetando cada detalhe do bolo. Eu escolhi cada renda, cada forminha, de cada andar. Todos os detalhes. No final, quando ela me mandou a foto, nossa, eu chorei de emoção, porque ele ficou PERFEITO. 

Eu estava esperando menos, porque eu não queria me decepcionar. E superou MUITO minhas expectativas. Ele tava perfeitamente do jeito que eu queria.”

Sobre o casamento:
A alegria de ter tido um casamento exatamente como esperava, Juliani tem. Ouvi-la contar sobre este dia com riqueza de detalhes e voz embargada pela saudade faz com que nosso desejo de sermos melhores aumente a cada dia, a cada casamento realizado com tanto amor.
A todos os fornecedores, Juliani e Jian são muito gratos: “Fiquei muito feliz com as escolhas dos fornecedores, cada um executou seu trabalho com muita dedicação e amor, tenho muito a agradecer a cada um. E hoje, olhando as fotos, vejo cada detalhe do minucioso trabalho desenvolvido por todos. Cada detalhe da decoração desenvolvida pelo Beto Burim e sua equipe, realmente desde quando conheci o trabalho deles tinha certeza que era a empresa certa e na primeira conversa com o Beto me encantei ainda mais. Não tive dúvidas de que podia confiar o meu sonho nessas mãos tão talentosas. E não foi pra menos, ele realizou meu sonho exatamente como idealizei, com muita delicadeza em cada detalhe, ficou incrível. Quando entrei no salão a emoção veio à tona, me arrepiei da cabeça aos pés. Ah, e o que falar da equipe da Paz? Meu Deus não tem explicação do quão maravilhosa é essa equipe, do quanto ajudam às noivas, facilitam nossa vida! Nos deixam calmas com suas palavras carinhosas, realmente não sei o que seria de mim sem o cuidado delas. Um momento que me marcou muito foi quando a Paula me entregou o buquê, olhou nos meus olhos com um sentimento de carinho e falou algumas palavras.. nesse momento eu tinha certeza que ela tinha tudo sob controle e fiquei muito tranquila. Nesse dia só tinha pessoas amadas e queridas ao meu lado, minha mãe, madrinhas e a Cacau a quem apelidei carinhosamente de Fada madrinha da noiva rs, sim ela é uma fada, me transformou em uma verdadeira princesa e o melhor é que a magia durou ate as 6h da manhã rs. Agradeço também a equipe do Telhados de Paris, que realizou um trabalho é incrível e delicioso, só recebi elogios, estava tudo em seus mínimos detalhes. Toda equipe superou minhas expectativas. Todos os fornecedores que escolhi, foram bem escolhidos. Foi tudo excelente. Trabalharam em harmonia, perfeitamente coordenados.”

Muito amor aos casais apaixonados pela realização de um dia tão feliz! Sejam felizes sempre, Juliani e Jian. Muita alegria em termos feito parte de um dia tão cheio de felicidade e..cerejeiras! Beijos da equipe PAZ.

Fotos de Adress Ribeiro

casamento em foz do iguacu - juliani e jian (21).jpg

Organização e Cerimonial - Paz Casamentos
Decoração - Beto Burim
Fotografo - Andress Ribeiro
Igreja - Bom Jesus do Migrante
Espaço de Eventos - Espaço Papillon
Música da Cerimônia - Vocal Sonata

Música jantar - Carol Ramalho
Dj - Rafael Cazella
Som e Iluminação - Sigma Audiovisual
Bolo Fake - Marcela Rahal
Doces - Mirella Carrijo
Forminha de Doces - Patrícia Menezes
Bem Casados - Conceição Bem Casados
Convites e Papelaria - Grafica RM
Lembrancinhas: Magnific Decor
Totem Fotográfico - Iguassu Magic
Kit para Banheiros - Miss papier
Buffet - Telhados de Paris
Cabelo e Maquiagem - Claudia Soria
Vestido de Noiva - Deaman Wedding
Joias da noiva - Miguel Alcade
Filmagem - Lucas Matheus
Entrevista e Edição - Carol Ramalho